O Serviço Social é política pública, e o Assistente Social seu efetivador!

É uma profissão de caráter sócio-político, crítico e interventivo, que se utiliza de instrumental científico multidisciplinar das Ciências Humanas e Sociais para análise e intervenção nas diversas refrações da “questão social”, isto é, no conjunto de desigualdades que se originam do antagonismo entre a socialização da produção e a apropriação privada dos frutos do trabalho .Inserido nas mais diversas áreas (saúde, habitação, lazer, assistência, justiça, previdência, educação, etc) com papel de planejar, gerenciar, administrar, executar e assessorar políticas, programas e serviços sociais.



O Assistente Social efetiva sua intervenção nas relações entre os homens no cotidiano da vida social, por meio de uma ação global de cunho sócio-educativo ou socializadora e de prestação de serviços.Está capacitado, sob o ponto de vista teórico, político e técnico, a investigar, formular, gerir, executar, avaliar, e monitorar políticas sociais, programas e projetos nas áreas de saúde, educação, assistência e previdência social, empresas, habitação, etc. Realiza consultorias, assessorias, capacitação, treinamento e gerenciamento de recursos; favorece o acesso da população usuária aos direitos sociais; e trabalha em instituições públicas, privadas, em organizações não governamentais e junto aos movimentos populares.



quarta-feira, 29 de julho de 2009

Mundo Livre: Sociedade do Consumo

Josiane Gomes


Atualmente, uma pessoa que quer comprar um tênis e não dispõe de recursos poder ser considerado LIVRE? É LIVRE um homem que procura trabalho e não consegue? Será que Liberdade é poder comprar tudo o que se quer? A pessoa que deseja comprar tudo o que deseja é Escrava do consumo? A noção de Liberdade dos escravos do Brasil no século XII era a mesma noção de liberdade que temos hoje?
Buscando responder aos questionamentos acima, feitos pela Professora Karen Bortoloti ( Formação Histórica e Social Contemporânea), cheguei a seguinte conclusão:
Vivemos em um mundo conhecido por neoliberal. Mundo Livre: Sociedade do Consumo. Lucros & Lucros S/A (como li em um texto).
O mercado é livre para guerrear pelo nosso poder aquisitivo, estes sim são livres para explorar, dominar, poluir. Este mercado quer a mim, a você e o nosso desejo de consumir. Compre agora!...Compre agora mesmo!...Compre e concorra à casa dos seus sonhos!...Ligue e ganhe mais um kit para o seu emagrecimento!...Somos moralmente bombardeados por todos os lados.
Deveríamos ser livres, só que nossa liberdade é para escolher o modelo do celular ( de preferência o último lançamento). O carro que vamos comprar (não interessa em quantas parcelas). A roupa que vamos sair (tem que estar na moda). O sapato que calçamos. Até aquele alimento que é mais saudável, como foi informado naquele programa de domingo à noite. Bem, mas só podemos comprar aquilo que o nosso dineiro pode pagar. Podemos até desejar, é o que esperam de nós, mas se não temos dinheiro, não levamos. Essa é a sensação de liberdade?
LIBERDADE significa autonomia, ou seja, a faculdade dos indivíduos disporem de si próprios.Isto implica, naturalmente a ausência de todo e qualquer constrangimento físico ou moral.
Atualmente estamos nos desumanizando. A liberdade não se troca, não se compra nem se vende, e não pode ser imposta ou concedida, como ocorreu com os escravos no Brasil, e continua acontecendo com todos os cidadãos. Ela é parte integrante de cada indivíduo. Cada um tem a necessidade de afirmar a sua liberdade, a qual, socialmente, vê refletida na liberdade dos outros. A liberdade só é possível entre iguais. É impossível existirem homens e mulheres livres num mundo baseado na hierarquia e na opressão. A liberdade de cada um de nós não é um fato individual, é um produto coletivo.
Isoldados e submetidos à propaganda dos meios de incomunicação de massas, socializados através da TV, assistimos impotentes à destruição da nossa individualidade. Os poderes que controlam a sociedade em que sobrevivemos tratam de nos subjugar através de métodos que chegam a ser delirantes, chegando à insolência de nos proporem a liberdade em troca da compra de mercadoria.
Analisando a vida que levamos hoje, percebo que cada vez mais somos obrigados a fazer escolhas que custão nossa liberdade. Dentro de uma sociedade cheia de regras e costumes que pouco nos adiciona, temos que trabalhar cada vez mais, nos tornando cada vez mais alienados...Cada vez mais grades nas casas, muros mais altos, cercas elétricas e etc...!
Não somos totalmente livres, somos presos à valores, preconceitos, preceitos, necessidades, hábitos, desejos...Talvez em nossos pensamentos possamos ser livres! Quem sabe...
Sorrisos 1.000 pra vcs!
























quarta-feira, 22 de julho de 2009

Evento: VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER!

08 de Agosto: Dia da Promulgação da Lei Maria da Penha


*Planfletagem na Esplanada do Theatro Pedro II.

* Campanha do Laço Branco - Homens Unidos Contra Violência Doméstica e Familiar.

Concentração: Praça das Bandeiras às 10h

Ciclo de Debates

10/08/09 - Experiência do Legislativo de São Paulo no Enfrentamento à Violência Sexual Contra Criancas e Adolescentes. Local: Câmara Municipal de Ribeirão Preto. Horário: 14h.

11/08/09 - Educação e Violência - Construindo uma Cultura de Paz. Dirigida aos profissionais da Educação e da Assitência. Local: Câmara Municipal de Ribeirão Preto. Horário: 14h.

12/08/09 - As Múltiplas Faces da Violência Contra a Mulher "Promotoras legais, relato de experiência - Rompendo o Silêncio". Dirigida aos profissionais da Saúde. Local: Câmara Municipal de Ribeirão Preto. Horário: 14h.

13/08/09 - Violência Contra a Mulher: Uma Violação aos Direitos Humanos. Palestra dirigida aos profissionais de Direito e Justiça, Guarda Civil e Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil. Local: Casa do Advogado. Horário: 14h.

Sorrisos 1.000 pra vcs...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Descobrindo o Ser - Aprendendo a Conviver!

Josiane Gomes
I Encontro


 Descobrindo o SER - Aprendendo a CONVIVER é um Encontro idealizado por algumas alunas do Curso de Serviço Social da Faculdade Interativa COC - Pólo Ribeirão Preto, com a finalidade de buscarmos novos conhecimentos que possam nos auxiliar no exercício de nossas atividades diárias, pois acreditamos em uma efetiva transformação social baseada no amor, que venha dignificar a existência do indivíduo de maneira justa e igualitária. A partir do momento que nos autoconhecemos, desenvolvemos maiores habilidades para compreendermos, convivermos, auxiliarmos...Enfim, amarmos o OUTRO!
"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar."(Nelson Mandela)
Para nós, o amor é a base da sociedade e começa em seu núcleo: a Família. Todos precisam amar ou ser amado, só assim equilibra-se a vida. O ser humano foi criado para viver em sociedade e criar relações entre as pessoas, tendo o amor um papel importante na criação dessas relações.
“Do ponto de vista biológico, o amor é a disposição corporal sob a qual uma pessoa realiza as ações que constituem o outro como legítimo outro em coexistência. Quando não nos comportamos dessa maneira em nossas interações com o outro, não há fenômeno social. O amor é a emoção que fundamenta o social. Cada vez que se destrói o amor, desaparece o fenômeno social. Pois bem: o amor é algo muito comum, muito simples, mas fundamental” (Humberto Maturana e Gerda Verden-Zöller)
Trata-se de uma disposição corporal, natural e fundamental ao ser humano. É o que nos permite viver como seres sociais, é o que nos permite aceitar o outro sem exigências ou justificativas, é o que abre espaço à cooperação.
Se amamos, não competimos, compreendemos, aceitamos sua forma de ser, respeitamos sua legitimidade de ser o que é e como é, co-existimos nos construindo mutuamente, permitindo que o outro nos provoque movimentos e, simultaneamente, levando-o a movimentar-se, construímos modos de vida pautados na cooperação. Não precisamos de motivos, de justificativas para amar, simplesmente amamos, porque nossa natureza assim é.
Sorrisos 1.000 pra vcs...

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Prostituição - Tema que necessita de reflexão...

Josiane Gomes


Recentemente relatei neste blog, nossa participação no Encontro Temático: “Prostituição infanto-juvenil: a construção de um lugar na vida”, realizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Ribeirão Preto.
Agora desejo abordar uma das pautas da palestra da Professora Ana Maria Ricci Molina, Mestre em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto: a PROSTITUIÇÃO - tema que necessita de maior reflexão acerca de sua origem e dinâmica.
Para aprender, compreender e discutir este fenômeno é necessário despir-se de todo e qualquer preconceito (regra fundamental para o exercício da profissão - Assistente Social).
Em busca de uma melhor conceituação a este fenômeno social, que acontece em diferentes instituições/sociedades, e em vários tempos históricos, encontrei a seguinte: a prostituição pode ser definida como a troca consciente de favores sexuais por interesses não sentimentais, afetivos ou prazer. Apesar de comumente a prostituição consistir numa relação de troca entre sexo e dinheiro, esta não é uma regra. Pode-se trocar relações sexuais por favorecimento profissional, por bens materiais (incluindo-se o dinheiro), por informação, etc.[1]
Na Antiguidade, as prostitutas eram conhecidas como “Mulheres Livres” ou “Sacerdotisas”, pois eram responsáveis pela comunicação dos homens com os deuses, através de cultos (orgias sexuais), em busca de fertilidade (entende-se aqui por qualidade fértil, abundância em colheitas).
A medida em que a sociedade foi se tornando mais complexa, novos dispositivos foram criados e acionados a fim de controlar tal fato. Exemplo: a Religião.
Logo na Idade Média, a Igreja começou a persegui-las, contestando que as mesmas profanavam o corpo, sendo que o corpo é o templo e Deus.A sexualidade era aceita apenas como meio procriação e perpetuação da espécie e não como forma de prazer.
Nesta época a Igreja exercia um grande poder de controle sobre seus adeptos, orientando a sociedade a não praticar sexo somente por prazer, não praticar auto-erotismo (masturbação), não fazer sexo antes do casamento, entre outras condutas que envolviam a sexualidade. Partindo deste pressuposto, a família passa a se considerada um bem que não pode ser violado pela a Igreja e pela sociedade. Tais condutas que exerciam o controle da sexualidade eram bem aceitas pela população, pois acreditavam que essas condutas levariam a destruição da família, e assim a seguiam.
Desta forma, as mulheres começaram a se prostituírem, principalmente as mais pobres para adquirirem dotes, uma vez que a Igreja colocou a família em posição destaque e todas as mulheres desejavam o matrimônio.
Na Idade Moderna a relação entre sexo e pecado ainda existe. Apesar de todo conceito moral que temos, a sexualidade é objeto de controle e poder sobre a mulher e a prostituição se mantém como um fenômeno social.
No Brasil a prostituição é uma constante desde o período colonial. Há autores que afirmam que as prostitutas do Brasil Colônia contribuíram para a geração e valorização das mulheres puras e distantes da sexualidade transgressora. Neste período, mulheres que exerciam a prostituição eram vistas como pacificadoras da violência sexual, defensoras do casamento moderno, mas carregavam a estigma de Meretrizes/Rameiras.
O fundo de cena deste período: a pobreza - o que fazia da prostituição um meio de sobrevivência. Porém precisamos ressaltar que a prostituição atual nasceu do conflito de duas percepções diferentes: a “meretriz de bordel” (casas de luxuosas, com evidente permissão para contravir) e as prostitutas da Colônia, que ingressavam na atividade por sobrevivência.
A Prostituição é constante em nosso país, principalmente a infanto0juvenil, porém nossa sociedade persiste em calar-se sobre tal fato. Constatamos no período colonial o domínio e abuso do homem sobre a mulher. Filhas dos senhores casavam-se com doze anos, virgens e geralmente com homens de quarenta, cinqüenta anos de idade. Nas senzalas, muitos senhores deitavam-se com as negras virgens de dez, onze, doze anos. Crianças forçadas a satisfazerem os desejos de adultos. Sem contar que várias destas crianças violentadas eram filhas legítimas de seus senhores - enfatizo aqui o incesto (união sexual ilícita entre parentes consangüíneos), a submissão faz com que qualquer pessoa seja explorada, usada como objeto para satisfazer desejos pessoais. Este foi o Brasil colônia!
Hoje com o advento do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), criado em 1990 temos um olhar mais atento para esta atividade, pois existem “políticas públicas” (nem todas em exercício) em defesa dos direitos da criança e do adolescente, ações articuladas governamentais da união.O abuso sexual de crianças é também um fenômeno social disfarçado pela síndrome do silêncio e da invisibilidade da qual padece nossa sociedade, fazendo com que continuemos a manter crianças nas ruas se prostituindo. Com base na compreensão do Estatuto, este fenômeno torna-se objeto de estudo.
Continuarei abordando este assunto em outra postagem, “Construindo um lugar na vida através da Prostituição (Crianças e Adolescentes).
Desde de já, deixo claro que neste ambiente virtual, devemos lutar para nos despir de todo e qualquer preconceito, porém, sempre lutando para dignificar a existência humana!
Sorrisos 1.000 pra vcs...

[1] http://pt.wikipedia.org/wiki/Prostitui%C3%A7%C3%A3o
http://apontejotape.blogspot.com/2008/01/histria-da-prostituio.html

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Operação Sorriso Brasil

Transformando Vidas, um Sorriso de Cada Vez!

Missão: A Operação Sorriso mobiliza todos os corações generosos do mundo para curar sorrisos, transformando a vida das crianças.

A Operação Sorriso do Brasil é uma instituição privada, sem fins lucrativos que se dedica a transformar a vida de crianças e jovens brasileiros portadores de fissura lábio-palatina (lábio leporino e fenda palatina). Buscando alcançar este objetivo através da criação de uma ponte entre o trabalho voluntário e o patrocínio de indivíduos e empresas socialmente responsáveis visa ampliar a auto-suficiência no tratamento deste problema nas diversas regiões do país.

Programa Cirúrgico do Rio de Janeiro
De 06 a 14 de agosto de 2oo9 - Realizando pelo segundo ano consecutivo um programa cirúrgico na cidade do Rio de Janeiro de 06 a 14 de agosto no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (Hospital do Fundo).
Com uma equipe multidisciplinar formada exclusivamente por voluntários não-médicos e profissionais de saúde brasileiros, o programa médico-humanitário pretende realizar cirurgias plásticas reparadoras em 100 pacientes portadores de fendas lábio-palatinas, prestar atendimento médico a todas as pessoas presentes à seleção que ocorrerão no dia 06 e 07 de agosto e, principalmente, continuar inspirando o desenvolvimento de políticas comprometidas com a auto-suficiência no atendimento médico de qualidade a pessoas portadoras de lábios leporinos e fendas palatinas no Estado.

Dia de seleção dos pacientes: 06 e 07 de agosto Local: Hospital Universitário Clementino Fraga Filho End. : Rua Professor Rodolpho Paulo Rocco, 255 - 1andar - AmbulatórioCidade Universitária - Ilha do Fundão Rio de Janeiro - RJ Fone para informações: 21-71523855 Dias das cirurgias: 10 a 14 de agosto Não é necessário fazer pré-inscrição para tentar a cirurgia, apenas comparecer ao hospital no dia do exame e seleção dos pacientes.

Programa Cirúrgico de Fortaleza-CE
De 01 a 09 de setembro de 2009

Local: Hospital Infantil Albert Sabin Número de pacientes: 125

Programa Cirúrgico de Santarém-PA
De 23 a 28 de novembro de 2009
Local: a definir Número de pacientes: 80

Para maiores informações acessem: http://www.operationsmile.org.br/

Sorrisos 1.000 pra vcs...


quinta-feira, 2 de julho de 2009

Convite "Descobrindo o SER - Aprendendo a CONVIVER"



Descobrindo o SER - Aprendendo a CONVIVER é um Encontro idealizado por algumas alunas do Curso de Serviço Social da Faculdade Interativa COC - Pólo Ribeirão Preto, com a finalidade de buscarmos novos conhecimentos que possam nos auxiliar em uma prática mais efetiva e eficaz.
O título já diz muito, pois a partir do momento que nos autoconhecemos, desenvolvemos maiores habilidades para compreendermos, convivermos e auxiliarmos o outro.
Trata-se de um evento interativo/recreativo, e não tem custo algum.
Data: 18 de julho de 2009 - das 14:00 às 17:00
Local: EMEI "Dra. Maria Helena Braga Monte Serrat"
Rua Rondônia, 1020 - Monte Alegre - Ribeirão Preto / SP
*** Leve uma toalha grande para prática de Yoga e vista roupas leves e confortáveis!

As confirmações de participação deverão ser feitas até o dia 15/07/09 – quarta-feira, pois dispomos de apenas 40 vagas!
E-mail: josiane_gomes3@hotmail.com
Nos encontraremos lá...
Sorrisos 1.000 pra vcs!